'Tudo vai ficar bem' explora tristeza, amor e autismo

Cultura

'Tudo vai ficar bem' explora tristeza, amor e autismo

A nova comédia de Freeform, criada por Josh Thomas, mergulha na dinâmica da família após uma perda repentina.

eventos históricos lgbt
13 de dezembro de 2019
  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest
Forma livre
  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest

Nova comédia de Freeform Tudo vai ficar bem é hilário não convencional. Situado na Califórnia, o programa explora como três irmãos lidam com a súbita perda de seu pai.

Nicolas, interpretado pelo ator australiano Josh Thomas, se destaca como a figura paterna de suas duas meias-irmãs adolescentes: Geneviene (Maeve Press) e Matilda (Kayla Cromer), que tem autismo.

O show foi exibido para uma audiência íntima no Davis Theatre de Chicago na terça-feira e foi recebido com risadas e aplausos.

O que diferencia o programa de outras comédias familiares é que ele desdém de maneira grosseira a tristeza, o sexo, o amor e a independência. Também faz história como o primeiro programa a lançar um ator no espectro em um papel principal.

'Todo mundo que foi escalado como um personagem com autismo não tem essa deficiência', diz Kayla, que interpreta a franca, mas bondosa Matilda, diz. 'Então, como eles podem esperar agir como um de nós, quando não pisaram em nossos sapatos'?

Anteriormente modelo, Kayla foi uma das primeiras atrizes a fazer o teste para o papel e o conseguiu logo depois. E, embora esteja emocionada com a oportunidade de dar nuances a como é ter autismo, ela também está ciente de que deve haver mais representação em telas grandes e pequenas de pessoas com distúrbios neurológicos.

'Eu sei que sempre haverá pessoas que não vão gostar do meu desempenho e (outros) vão gostar', diz ela. “Mas, na realidade, um personagem com autismo não pode representar todas as pessoas com autismo - todos são diferentes. Todos nós temos nossas peculiaridades diferentes. Nem todos os nossos cérebros são iguais '.

Tudo vai ficar bem estréia em 16 de janeiro no Freeform.